quinta-feira, novembro 20, 2014

Os rios Sar e ISar (Galiza e Bavária-Alemanha)

Rio Sar em Padrão (Galiza)
Isar em alemão tem um significado semelhante a "colorado". É o nome do rio que passa por Munique ou München (Bayern, Deutschland). Tem algo a ver com as decenas de topónimos semelhantes que se acham na Galiza e resto da Gallaecia?

Topónimos Sar, Saa, Sa, etc no noroeste penínsular, a velha Gallaecia

Rio Isar em München (Deutschland)
 




sexta-feira, maio 16, 2014

Inciativa privada na percura da língua galaica

Os fundadores do "Proxecto Gaelaico" tem o intuito do estudo e difussão da antiga língua galaica como explicam na sua web  "Desde unha base lingüística sólida, o Proxecto Gaelaico pretende difundir datos esenciais para unha mellor comprensión da historia dos pobos que desde hai milenios viven na Europa Atlántica. Estes datos revelan unha relación tan evidente entre as linguas gaélicas e a lingua galega, entre Irlanda, Escocia e Galicia, que resulta sorprendente que non se vise reflectida na historia que todos coñecemos. Deixemos que falen as linguas." Mais informação em: https://www.progael.com/gl/

quarta-feira, outubro 09, 2013

sexta-feira, março 29, 2013

Brasileiros de origem predominante européia são geneticamente celtas

Considerando que todas as pessoas somos iguais independentemente de origens étnicos e desde o mais absoluto anti-racismo, recolhemos como curiosidade histórica este post do blogue JaimeSodre's Blog:

http://jaimesodre.wordpress.com/2009/09/25/brasileiros-de-origem-predominante-europia-so-geneticamente-celtas/

"Os brasileiros geneticamente são mais próximos dos portugueses, dentre as raças européias, que são, como povo,  predominantemente de origem celta (haplogrupo R1b ~ 70%) , com alguma presença nórdica (haplogrupo I ~ 15%) e báltica (grega antiga) (haplogrupo E3b ~ 10%), e com alguns resquícios semíticos (haplogrupos J1 e J2 ~ 5%), números que variam conforme a região. A origem celta é atestada pela forte presença em Portugal do haplogroupo R1b, definido pelo tipo de cromossomo Y, chegando a 90% no norte da antiga região da Galaecia.  A identificação do haplogrupo R1b com os celtas faz-se pela comparação da distribuição geográfica dos povos de origem celta (irlandeses, escoceses, galeses, bretões, galegos, portugueses, ingleses do oeste e franceses do oeste)  com as distribuições dos seus respectivos haplogrupos regionais.
As caracterizações dos tipos celta (ou atlântico), nórdico, eslavo (praticamente inexistente em Portugal), báltico e semita faz-se por teste de hipóteses, por comparação das distribuições geográficas desses povos, das distribuições dos haplogrupos, do que se conhece da História e da Arqueologia, e da  distribuição das distribuições dos haplogrupos regionais. 

As distribuições de haplogrupos femininos, definidos pelo tipo de cromosomo X, são praticamente idênticos nesses países.

Os celtas são um povo de origem caucasiana, citados na Bíblia, chamados de gálatas. Chmavam-se de gauls, e de keltoi. Daí nomes como Portugal (de porto Cale), Galícia, Caledônia (nome da Escócia), Galácia (Anatólia ou Turquia), Galia (França), Galia cisalpina (norte da Itália), Galaecia (província romana que compreendia o norte de Portugal e noroeste da Espanha), gallo (língua falada na Bretanha), gaul (habitante da região Highland na Escócia). Atribui-se a eles a descoberta do ferro, e introdução de artefatos de ferro na Europa, quando da passagem da idade do bronze para a idade do ferro. Contribuíram fortemente para a formação de povos como os ibéricos e os britânicos, embora tenham dado alguma contribuição para a formação de povos em quase toda a Europa, chegando até a Rússia"

quinta-feira, novembro 29, 2012

"Gallaecia, our Motherland" em Facebook, de interesse !


 O síto de facebook "Gallaecia, our Motherland" fornece de informação sobre a Gallaecia, a nossa comunidade nacional que inclui Galiza, Norte de Portugal, Astúries, Samora e Llion:
https://www.facebook.com/gallaeciamotherland

The Famous National Geographic Map of the Celtic World! With Slight Modifications, Since in The Original Northern Portugal was Only Represented by The Minho Region!

Eleições "autonómicas" na Galiza: mais nacionalismo espanhol com a vitória do PP.

O processo eleitoral do passado 21 de outubro não sinificou uma mudança na composição nacional do Parlamento autonómico. Se antes eram 12 deputados nacionalistas galegos do Bng contra 63 nacionalistas espanhóis de PP e Psoe, hoje os galegos ficam com 11 deputados divididos entre 7 do Bng e 4 de Anova frente a um total de 64 deputados nacionalistas espanhóis. Por partidos e deputados os resuldados ficarom assim: 41 para o PP, 18 para o Psoe, 9 para A.G.E. e 7 para o BNG.

A "novidade" foi a irrução no parlamento de uma nova força AGE, Alternativa galega de Esquerdas, coaligação dos nacionalistas de Anova (Encontro Irmandinho de Xosé Manuel Beiras, recentemente cindidos do BNG, junto a FPG de Mariano Abalo) com o partido esquerdista espanhol Izquierda Unida.

Os maus resuladaos do BNG semelham que vão supór a abertura de um profundo processo de reflexão interna para intentar agir e reverter a situação de queda que vem experimentando desde há muitos anos.

A alta abstenção jogou desta volta em contra do voto conscientizado em prol da Galiza. O processo espanholizador e liquidacionista que representa o projecto ultranacionalista espanhol do Partido Popular conta com mais quatro anos em que podem rematar com a nossa cultura, com a nossos sectores produtivos básicos e com o já cativo estado do bem-estar. Esperemos estar errados. Mas tudo faz ver com que os nossos jovens continuarão a migrar na percura de trabalho, os pequenos negócios e autónomos continuarão a fechar contribuindo para um alargamento do desemprego, a especulação urbanística e industrial continuará a atentar contra o nosso meio natural e paisagístico, os serviços sociais continuarão a verem-se curtados como conseqüência do recurte dos orçamentos públicos e tudo por que o sector público está a transladar a dívida privada do sector financeiro para  o sector público mediante a nacionalização das perdas da banca, a destruição do nosso património cultural e histórico, nomeadamente a nossa língua nacional, etc. Hoje mais que nunca Galiza necessita exercer a sua soberania ou ficará relegada da história.

Nov, 30: from Galiza to Alba / Scotland: congratulations !!!

No dia de St. Andrews celebra-se a Festa Nacional de Alba ou Escócia. Queremos dar os nosso parabens aos nosso irmãos das terras altas. Brindemos com vcerveja pela liberdade desta nação irmã que mais cedo que tarde verá como pode elegir o seu futuro optando a ser mais um estado europeu independente !!

Solidariedade com o povo palestiniano

Embora este seja um blogue sobre Galiza, não queremos deixar de exprimir a nossa solidariedade ante os ataques do exército israelense contra a população civil palestiniana dos territórios ocupadas em Gaza hai uns dias. Segundo numerosas fontes informativas as vítimas isralenses pelos ataques com foguetes de Hamas não chegariam a dúzia mentres as vítimas civis seriam perto de 200. Ao nosso ver, claramente desproporcionado.  Esperemos que o recente princípio de acordo entre a Autoridade nacional Palestiniana e o Estado de Israel traia a paz, o respeito para as resoluções da O.N.U. referidas a este conflito, o fim do bloqueio de mercadorias básicas para a sobrevivência da população palestiniana e o reconhecimento do seu estado por parte da comunidade internacional.

segunda-feira, agosto 20, 2012

Passamento do patriota galego Avelino Pousa Antelo


Hoje 20 de agosto de 2012, tres dias apôs da celebração do Dia da Galiza Mártir, em que lembramos com respeito, admiração e carinho a figura de Alexandre Bóveda e sentimos carragem contra os assassinos fascistas espanhóis que o executarom há 76 anos, espertamos infelizmente com a má nova do passamento de Avelino Pousa Antelo. O seu trabalho em prol dos interesses da nossa nação não serão em balde.

segunda-feira, abril 16, 2012

Galegos e Suecos compartilham raizes

Este artigo da web inglesa Historyfiles para além das referências ao nosso antigo Galliciense Regnum fundado polos suevos (o primeiro reino feudal europeu apôs o controlo imperial romano), faz referência a uma tribo da confederação de povos suevos: so Suiones ou Swedes, os avós dos atuais suecos que moram na Suécia, Finlándia, Estónia e migraram para Ucrainia e América. É possível que , às muitas semelhanças já estudadas, entre a cultura e histórias galaica e escandinávica, haja que acrescentar esta possível origem comum do povos suevo que chegou a Gallaecia e o povo fundadores da nação sueca.


Eric ante Odim
 "...this time, the Suevi have formed a wide-ranging confederation of tribes that are all known individually but which are counted as being Suevi. The vast number of tribes included in the confederation include the Aestii, Angles, Aviones (Eowan), Buri, Cotini, Eudoses, Gutones, Hermunduri (who have virtually ceased to exist as a recognisable, independent people), Langobards, Lugii (a name applied to several tribes: the Harii, Helisii, Helveconae, Manimi, and Naharvali), Marcomanni, Marsigni, Quadi, Naristi, Nuitones, Osi, Reudigni, Semnones, Sithones, Suardones, Suiones (Swedes), and the Warini. The Suevi are also closely linked to their neighbours, the Alemanni, on the east bank of the Rhine, right up until the migration of 406."

"...Then come the Gutones, Lemovii, and Rugii along the Baltic Sea, the various divisions of the Suiones (Swedes), and last but not least the non-Germanic Aestii, and beyond them the Sitones, both of which are on the Baltic coast."


[E os Lemavi Galaicos de Terra de Lemos eram celtas ou suevos LEMOVII !?!?!?!?!?]

-
Kingdoms of the Germanic Tribes - Suevi (Suebi)

http://www.historyfiles.co.uk/KingListsEurope/BarbarianSuevi.htm

quinta-feira, dezembro 15, 2011

As Moanhas e a Laracha, Lavacolha e Altamira irlandesas...

Moanabricka (Eire)

Semelhanças razonáveis aparentes entre o nossos topónimos Moanha, Laracha e Lavacolha e os seguintes da Irlanda:

  • Moanha: Moanabricka, Moanarnane. Moanavraca, Moanroe
  • Lavacolha: Labacallee
  • Laracha: Laragh


Mámoa em Lavacallee (Eire)



quarta-feira, setembro 07, 2011

Semelhanças aparentes entre as toponímias germánica e galega

Mosteiro de Santo Salvador de Bergondo (Galiza)

(relacionadas com línguas célticas e germánicas)

Berg-: montanha como em Bergondo, Bergueira, Bergondinho, Bergazos, Bergaza, A Bérgoa, Berganha, Bergunde, etc.

Bach-: rio pequeno, arroio como em Bagarelas, Bagulho, Bagoi, Bagulha, Bagueixos, Bagüin, Labagueira, Baganheira, Bagude, Albagueira, Lobagueiras, A Bagunda, etc.

Burg-: fortaleza, castelo como em Burgueiros, O Burgo, Burgás, Burgovedro, Burgao, etc.

Bad-: banhos como em Bade, Badoucos, Badernado, Badom, Badoi, Cotobade, etc

Fels-: rocha, acantilado como em Felgueiras, Felgosa, Felga, Felim, Felmil, Felpás, Felpós, Felós, Felom, Folgoso do Courel, Folgueira, Folgueira, Folhanzá, Folhenza, Folguedas, Folgar, Folom, Folhente, Folarom, Folgueiroa,  Folgosa, A Folga, Folgueirua, Folhobal, Folgoselo, Folhés, Folonha (->Bolonha), etc

Furt-: vado, lugar fecho como em Fortes, Fortaleza, Fortons, Fortinhom, Fortesende, etc

Goth-/Cot-: berço (?), val,

-Goterre, Os Gotes,
-Cotillom, O Coto, Cotobade, Cotinho, Cotaredo, Cotas, Cotarinho, Cótaro, Cotomil, Cotelo, Cotá, Cotom, Cotarom, Cotarel, Cotinhos, Cotro, Cotorredondo, Cotoleira, Cotodouro, Cotorulo, etc

T(h)al-: vale como em Tal, Talide, Talhons, Talhós, Talhó, Talhadas, Talom, Talhobre, Talagra, Talim, Talieiro, Atal, Carrapetal, Armental, Cepetal, Bretal, Frontal, Gestal,  etc.

Wald-: bosques como em Baltar, Balter, Balteiro, Os Baltares, Baltamaróm, (-> Báltico), etc

Semelhanças aparentes entre as toponímias galesa e galega

Môr significa "mar" como em Morraço, Morraceira, Morrazom, Chamorro e outros lugares da Galiza.

Nant-: pequeno val, como em Nantes (Sam Genjo, Galiza), Nantim, Nantom, Abanante

Nantes, freguesia de Sam Genjo (Galiza)


Din-: castro, hillfort, como em Landim, Sendim, Abadim, Gudin, Ervedins, Lidim, Candim, Sindim, Brandim, Rodinho, Gundim, Randim, Padim, Cardim, Cundins, Sarandim, Mundim, Sergudinho (Sergude-Sigurd), A Ludinha, Rodinso, Ledim, Tedim, Cardinha, Cepomundim, Rebordim, Vigovidim, Nadins, A Gudinha, Dadim, Gradim, Amedim, Soldom (variação?), e dúzias mais.

Llan-: igreja, lugar sagrado, tribo como em Lantaño, Lamasendim, Lamacide, Lama, Lameira, Lamas, Lameira, Lameiro, As Lamas, Lamarrio, Landim, Lamparte, Lamela, Laminho, Lamestra, Lamagal, Lamestras, Lampaza, Lamigueiro, Lamapulheira, etc

Pant-: val como em Pantinhobre, Pantom, Pantim, Panturreira, Pantrigueira, Pántaras, Pantaiom, Pantanho.

Cil-: esquina (?), como em Quilmelas, Quilmas, Casdequille, Cacharrequille, Cillobre, Lucil, Boucillao, Cancillós(?) Aducil, Acilleiros

Semelhanças aparentes entre as toponímias irlandesa e galega

Ath-: vado, lugar fechado como em Atalaia, Vilatám (?), A Áta, Natoal (?), Atás, Atám, Atal, Atainde, Ataude, etc

Ard-: lugar alto, outeiro, promontório como em Ardám, Ardexurxo, Ardilheiros, Ardesende, Ardaris, Ardions, Ardis, Ardeom, Ardevila, Ardia, etc.

Bally-: asentamento, habitação como o val- galego com centos de topónimos

Ban-: branco como Bandim, Bandeira, Bando, Bandeira, Bandom, Bandomil, etc.

Beg-: pequeno como em Begonte

(continuará)

Meliden: o irmão galês do Melide galego

Meliden (Welsh: Gallt Melyd) is a village between Prestatyn and Dyserth in Denbighshire, Wales. It grew up around the locality of lead mines and limestone quarries. The placename "Meliden" has variously been claimed to be derived from that of Bishop Melitus or St. Melyd (the village has the church of St. Melyd as its main place of worship); its Welsh placename, "Gallt Melyd", means "wooded hill of Melyd".[1] The railway between Prestatyn and Dyserth, long since lifted and formerly with sidings in the village, is now a public walkway and nature trek. It has a 9-hole golf course, which is split in half by the former railway/nature walk. The local school, St. Melyd Primary, is a feeder school to the High School, Prestatyn.

sexta-feira, agosto 12, 2011

Jacobsland (Galizaland ou Galizieland) versus Spania



Os vikingos na suas Sagas chamavam Galizaland ou Jakobsland (Pais de Sant-Iago) a todo o norte peninsular (incluidos territórios de Nafarroa) que não era Span/Spania/Al-Andalus.

A conquista da penísula aos muçulmanos foi efectuada desde o Galliciense Regnum. Desde o norte de cultura atlántica europeia e religião cristã.

Também é ilustrativo da colonização espanhola da Galiza que se nos negue a existência do Reino de Galiza ou Galliciense Regnum eliminando-o da história oficial e sustituindo-o pola denominação de "Reino de León" quando todas as fontes históricas contemporânias de dito Galliciense Regum, desde as Sagas vikingas até as crónicas muçulmanas ou fontes francas denominavam a este extenso Reino cristão da península como Reino de Galiza.

É patético como a historiografia nacionalista radical espanhola nos fala de uma "España" que sempre existiu desde o império romano e nos nega a única e evidente instituição hegemónica na península que era o Galliciense Regnum cujos domínios se foram extendendo por todo o norte e centro peninsular.

Depois os extremeiros do centro, castelhanos levantiscos começarom a desafiar o poder do nosso Reino e a criar núcleos de poder nas terras reconsquistadas a partir das que foram conformando os seus condados e depois reinos que devirom em fortes poderes militares que afinal fizeram sucumbir ao Reino matriz de Gallaecia. Gallecia foi nai de "Espanha" e Portugal e afinal ficou submetida pelo poder espanhol que está a destroir a nossa existência como povo, como étnia, como nação.

quinta-feira, agosto 04, 2011

Topónimos em "Bodan", o Odin ou Wotan suevo


Resuldados da busca de "bodan" no Nomenclator toponímico da Junta da Galiza:
ARZÚA (A Corunha) Dombodán (San Cristovo) Dombodán
CAPELA, A (A Corunha) Capela, A (Santiago) Cabodantoi
VILALBA (Lugo) San Simón da Costa (San Simón) Bodán

sexta-feira, julho 22, 2011

quarta-feira, julho 20, 2011

Suevos, Suevi, Suebi, Swebaz, Swaefs

The Suebi or Suevi (from Proto-Germanic *swēbaz based on the Proto-Germanic root *swē- meaning “one’s own” people, from an Indo-European root *swe-, the third person reflexive pronoun) were a group of Germanic peoples who were first mentioned by Julius Caesar in connection with Ariovistus’ campaign, c. 58 BC; Ariovistus was defeated by Caesar.

Representação da andaina, durante um duro inverno continental, do povo suevo no seu percurso desde centro-Europa até a Gallaecia onde ficarom.


Some Suebi remained a periodic threat against the Romans on the Rhine, until, toward the end of the empire, the Alamanni, including elements of Suebi, brushed aside Roman defenses and occupied Alsace, and from there Bavaria and Switzerland. Except for a pocket in Swabia (an area in southwest Germany whose modern name derives from the ancient name), and migrants to Gallaecia (modern Galicia, in Spain, and Northern Portugal), no more was heard of the Suebi.

Mapa da Europa alto-medieval. O Galliciense Regnum ocupava a Gallaecia e depois chegou a controlar grande parte da península sobre os visigodos, cuja capital estava na actual França.

terça-feira, maio 31, 2011

Uma jovem "druidesa" advirte para a defesa da nossa mátria Gallaecia

O magnetismo com que fala esta compatriota tem algo misterioso. Mesmo semelha a encarnação do espírito milenário e silente da nossa identidade mais íntima. Fico sem saber como explicar o nível de empatia étnica que provocam as suas palavras. Toda uma lider carismática. Galiza, no Norte e Sul do Minho, ainda dá filhas e filhos que merecem se chamar galegas/os. Incrível. O património dos nossos avôs não se manifesta apenas no arqueológico mas no vivo e atual. Isto deveria fornecer a nossa vontade de um soplo de esperança. Parabens pela capacidade comunicativa.

quarta-feira, maio 04, 2011

A "Cultura Castreja" de Cymru (Wales ou Gales)

Não diziam que as casas "castrejas" de pedra circulares eram privativas da cultura "dos castros"? Mais um exemplo de que eram a habitação comum no mundo celto-atlántico. Desde Gallaecia até Alba passando por Cymru e Eire. Aquí, foto de umas cabanas reconstruidas em St. Ffagans, Cymru.


Casas reconstruidas em St. Ffagans, Cymru.


segunda-feira, abril 18, 2011

Conexão cultural sueva Galiza-Alemanha: a Nebra germánica

Até no seu escudo de armas temos a coca ou dragão do estandarte suevo !! Casualidade??

http://en.wikipedia.org/wiki/Nebra

Nebra (official name: Nebra (Unstrut)) is a town in the district of Burgenlandkreis of Saxony-Anhalt, Germany. It is situated on the river Unstrut.

The oldest historical documents mentioning Nebra date back to 876. Town privileges were acquired in the 12th century. The Nebra-Castle was built in 1540.
The city is perhaps most famous due to the Nebra skydisk, which was found near the city in 1999. It only became public in 2002 when the finders tried to sell it and were arrested.
Nebra today features the Courths-Mahler archives and a museum displaying the history of the Nebra skydisk.

O tesouro de ouro de Eberswalde na Alemanha